A gentileza em escassez no WhatsApp

Nov 16, 2020

O tempo está em falta para todos nós, não importando qual a sua classe sócio econômica, grau de instrução, estado onde vive ou a sua profissão. Poucos perceberam que o relacionamento construído pelas redes sociais e aplicativos de mensagens, como o WhatsApp, por exemplo, é exatamente igual, a uma conversa pessoal, porém com a diferença que se está separado. E neste momento em que vivemos mais separados do que o sol e a lua, se fala muito pelos aplicativos, WeChat, Telegram e WhatsApp, que achamos mais importante emitir uma mensagem rápida, pois temos outra e outra e mais outra, aguardando para serem lidas e compartilhadas.

É aí o primeiro risco de não solidificar seu relacionamento. Principalmente com pessoas que são de sua base eleitoral, ou que serão futuros eleitores.

Assim, qualifique suas mensagens e não quantifiquem. É um ledo engano, você falar com centenas de pessoas, por simplesmente falar. É importante aproveitar e transmitir educação, gentileza, serenidade e agradecimento.

Uma das armas da persuasão, destacada no livro de Robert B Cialdini “As armas da persuasão – Como influenciar e não se deixar influenciar” versa sobre a reciprocidade.

É comum, mensagens como:

- Que você achou do meu vídeo?

Quando muito mais proveitoso e impactante seria:

- Olá, boa tarde. Enviei agora mesmo um vídeo a você. Se puder me responder dando sua opinião, eu agradeceria.

Sei que poucos vão se dar ao luxo de escrever dessa forma. Mas é exatamente ai, que você inicia sua construção da gentileza, de ser uma pessoa diferente e atenciosa. Deste ponto em diante, faltando 2 anos para as eleições de 2022, que você terá construído mais uma qualidade em sua personalidade. Por exemplo, gentil e atencioso.

Mais dicas e notícias, aqui!

CICQUE PARA VER MAIS CONTEÚDOS